Causas Emocionais Para As Doenças

Não é novidade que o autoconhecimento traz inúmeros benefícios para a nossa vida, mas o que nem todo mundo sabe é o quanto se conhecer pode ser transformador, inclusive para a saúde e bem-estar. Você sabia, por exemplo, que por trás de todo desconforto físico, como febre, sinusite ou até o câncer, pode existir uma causa emocional?

Há muitos estudos que comprovam a relação entre nossas emoções, crenças e pensamentos e o nosso organismo e, sim, a ideia é que sempre que algo não vai bem, seu corpo encontra um meio de sinalizar. A escritora Louise Hay, que se curou de um câncer mudando os próprios padrões mentais, disseminou essa ideia através do livro “Cure a Sua Vida”, um best-seller. Segundo ela, é fato: nós criamos as doenças de nosso corpo – também a saúde dele. Confuso?

Autoconhecimento

Vamos voltar para a ideia do autoconhecimento, e o quanto ele traz benefícios à nossa vida – em diversos aspectos. Se conhecer bem é útil por exemplo para comprar a roupa certa que reflita de fato o seu estilo – sem se arrepender depois. É importante até mesmo para escolher com quais pessoas você deve se relacionar; sabendo do que você gosta ou não, o que valoriza em alguém, fica bem mais fácil né?

E não paramos por aí. O autoconhecimento é tão importante que muitas marcas estão mudando a forma de encarar o consumidor e oferecendo – por que não? – formas da pessoa se conhecer melhor, ou contar o que já sabe sobre si. Aplicativos que detectam pontos do rosto onde a maquiagem deve ser aplicada à coleções de roupa feitas a partir de DNA, conhecer e respeitar a personalidade, os sentimentos e os hábitos de cada um são regrinhas para o sucesso até de shampoo! Já viu que existem shampoos e condicionadores personalizados para cada pessoa?

Saúde X Doenças

Tente entender que o corpo está sempre falando conosco; só precisamos ouvir! E que mergulhar pra dentro se si é uma ótima oportunidade para nutrir relacionamentos mais saudáveis, com você mesmo(a), com pessoas que cruzam o seu caminho e até com produtos – como falamos aí em cima!

Busque, portanto, se conhecer melhor. Entender do que gosta ou não, o que valoriza em um companheiro, em um trabalho, em um cosmético, ou na alimentação. Mas busque, acima de tudo, entender suas emoções e pensamentos, e nutrir os mais positivos deles! 

Se ainda tem dúvidas da relação entre seu corpo e sua mente, olha só isso… A cabeça é o que nos representa, o que mostramos ao mundo e por onde somos reconhecidos. Quando algo está errado nessa área é porque sentimos que há algo de muito errado conosco. Os cabelos, por exemplo, representam força: quando estamos tensos e assustados, os músculos do ombro se tensionam de tal forma que essa tensão sobe para o alto da cabeça, atinge os olhos e o couro cabeludo! Se essa tensão é contínua, o sangue não consegue irrigar adequadamente os folículos pilosos, que dão origem aos fios de cabelo e, portanto, não há crescimento de novos fios. 

E para quem acha isso algo “inofensivo”, pense na dor de cabeça – ela reflete  falta de autovalorização. Quando tiver uma, experimente se perguntar em que acha que errou, se perdoar e deixar a dor se dissolver. Enxaquecas, por sua vez, são criadas por perfeccionistas que criam muita pressão em torno de si, ou que têm muita raiva reprimida. 

Está com dor no pescoço? Pode ser porque esteja sendo teimoso(a) em algo. Já se o problema é na garganta – lugarzinho que diz muito sobre nossa capacidade de pedir o que queremos e/ou precisamos – é nítido que não você não está se sentindo no direito de expressar e defender vontades e necessidades. 

E como você pode evitar isso? Bem, como já foi falado, você pode nutrir pensamentos e sentimentos positivos. Mas pode também entender sua personalidade e seu corpo, a ponto de desconfiar de onde vem algum incômodo, ou até evitar que ele se manifeste. 

Fonte: Você Pode Curar Sua Vida, de Louise L. Hay

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *